A Era de Aquário

O assunto da semana passada foi o início da Era de Aquário anunciado para o dia 14 de fevereiro. Inúmeras pessoas receberam e-mails sobre isto, e nós fomos muito questionados sobre o assunto. Tudo começou porque na música “Let the sunshine in”, conhecida também como “Aquarius”, da peça Hair, fala-se sobre a presença de diversos astros no signo de Aquário. Acontece que a peça, encenada pela primeira vez em 1967, referia-se a um alinhamento planetário acontecido em 4 e 5 de fevereiro de 1962, no signo de Aquário, em que estavam presentes os 7 astros conhecidos desde a Antiguidade. Nesta época falou-se muito sobre a chegada de um novo tempo, da Era de Aquário, onde a liberdade, direitos iguais, o sonho da geração hippie estaria iniciando. O que não era verdade, e agora, no último dia 14, estavam presentes 5 astros em Aquário, e também não é verdade que iniciamos a nova era.
O início de uma nova era não tem a ver com a presença de diversos astros num signo, fato muito mais comum do que as pessoas pensam, mas sim, com um movimento do nosso planeta chamado de precessão dos equinócios.

Cada Era dura por volta de 2.160 anos e a Era de Peixes, anterior à de Aquário, começou por volta de 498 d.C., período muito importante na história do Ocidente, pois está muito próximo da queda do Império Romano (476 d.C.), que marca o fim do mundo antigo e o início da Idade Média. Temos então o surgimento da civilização cristã, a forte influência política e econômica que a Igreja católica irá exercer nos governos europeus durante toda a Idade Média, acabando com resquícios de cultos pagãos (vindos da Era de Áries). O cristianismo está associado ao peixe, os apóstolos eram pescadores, o batismo com água salgada, a mitra que simboliza a cabeça de peixe, etc. E percebemos diversas congruências entre valores cristãos e o signo de Peixes como a solidariedade, a compaixão, o amor ao próximo, o sacrifício para a salvação, idéias de doação e assistência que não haviam nos antigos cultos pagãos. Sempre com o pensamento no macro, em séculos, constatamos que estamos na transição entre a Era de Peixes e a de Aquário, já que a última começará por volta de 2.650, pois Cristo nasceu na Era de Áries, mas o cristianismo se impõe na de Peixes.

As Eras Astrológicas marcam o nascimento de novas civilizações, culturas, supremacia de povos e também o seu declínio. Por isso é importante termos uma visão ampla, colocando as Eras dentro de um desenvolvimento global, coletivo, pois marcam fases de desenvolvimento da civilização humana e correspondem aos grandes ritmos do universo.

O germe de uma era começa na anterior. Toda a tecnologia que começou a tomar conta do mundo nas últimas décadas é o prenúncio de Aquário, signo do futuro e da busca do progresso. Na de Peixes, as grandes navegações mudaram a cara do mundo que cresceu e se descobriu pelo mar, na de Aquário o homem viaja pelo ar, descobrindo o espaço. É o homem sabendo de tudo o que acontece no mundo, a globalização, mas não sabendo mais o que acontece com as pessoas que habitam a sua casa. Tudo se torna descartável, o super computador que você acaba de adquirir já está ultrapassado quando sai da loja, sempre tem algo mais moderno e eficiente, e pensar que há algumas décadas atrás um eletrodoméstico poderia ser considerado um bem durável!

Por estarmos num período de transição, temos saudades dos contatos mais próximos, íntimos, consideramos anti-ética a clonagem, mas não será tudo isto um indício do futuro?. Ao mesmo tempo, vivemos muitas contradições, como convém a um período de transição, pois toda a tecnologia não resolveu problemas básicos no planeta. Talvez sejamos privilegiados, ou não, por estarmos neste planeta num momento tão importante e crucial na evolução do Homem, o que nos leva a questionarmos sobre os encaminhamentos para o futuro, a crise de valores que estamos atravessando, um materialismo e supremacia econômica que nos tornou cegos à vida do planeta, à espiritualidade do homem.

O interessante deste momento, e contando com o auxílio de Júpiter e Netuno em Aquário, é refletirmos sobre a situação do nosso planeta e nosso planeta e pensarmos e agirmos, cada vez mais em termos de interesse do coletivo.

Outro dado citado foi o alinhamento que acontece com Marte e Júpiter. Saibam que esses astros fazem conjunção a cada 2 anos, mas no signo de Aquário a cada 12 ou 24 anos.
Estamos realmente atravessando uma fase muito interessante mundial que implica mudança de hábitos, e seria bom que as pessoas aproveitassem o ritmo aquariano que está impresso no céu para desenvolver um trabalho humanitário ou estudar com base numa realidade sem ilusões e crendices, mas determinar que a Era de Aquário já se estabeleceu é pura falta de conhecimento e estudo.

Falam tanto numa nova era
Quase esquecem do eterno é
Só você poder me ouvir agora
Já significa que dá pé

Novo tempo sempre se inaugura
A cada instante que você viver
O que foi já era, e não há era
Por mais nova que possa trazer de volta
O tempo que você perdeu, perdeu, não volta
Embora o mundo, o mundo, dê tanta volta
Embora olhar o mundo cause tanto medo
Ou talvez tanta revolta

A verdade sempre está na hora
Embora você pense que não é
Como seu cabelo cresce agora
Sem que você possa perceber
Os cabelos da eternidade
São mais longos que os tempos de agora
São mais longos que os tempos de outrora
São mais longos que os tempos da era nova
Da nova, nova, nova, nova, nova era
Da era, era, era, era, era nova
Da nova, nova, nova, nova, nova era
Da era, era, era, era, era nova
Que sempre esteve e está pra nascer

Gilberto Gil

George Jorge e Márcia Bernardo da Escola Santista de Astrologia

Artigos Anteriores


As páginas da Magnífica® não enviam executáveis, anexos ou downloads.

E-MAIL - sbayub@gmail.com

Estilo Net - Direitos Reservados

eXTReMe Tracker