1- Medo

2 - Preocupação excessiva com o bem-estar dos outros
3 - Falta de interesse pelas circunstâncias
4 -Supersensibilidade a influência e Opiniões

5 - Solidão

FLORAIS DE MINAS

ESSÊNCIA FLORAL CHICORIUM

A Chicória ou Almeirão-bravo é uma planta bastante comum, da família das Compostas e cujo nome científico é Chicorium intybus. De pátria européia, ela encontra-se hoje disseminada por várias partes do mundo e é um vegetal que deu origem a nossa variedade das hortas, o Almeirão ou Escarola-belga. Apresenta um porte herbáceo, possui folhas oblongo-denteadas e o que mais encanta são suas lindíssimas inflorescências profundamente azuladas.

Vamos então agora deleitar-nos no azul precioso de suas flores: Se os vegetais possuem códigos e, não temendo objeções, linguagens, por que o tom celestial ? Olhos de anjos ? De deuses ? Da capa de Nossa Senhora Aparecida ?... Do Planeta-Terra ?... afirmamos que sim ! Esta flor e a profundidade de seu azul representam o resplendor da alma e o convite para sublimarmos nossas ligações afetivas estreitas e pessoais, em padrões amorosos planetários, cósmicos, celestes... Afinal, a Mãe-Terra em seu imenso amor pelo Pai-Sol não se veste toda de azul para encantá-lo ?!

Posso concluir que as flores desta planta encerram um valioso significado espiritual: “Se nós nos identificássemos com o azul, com todo o azul do mundo, andaríamos por aí, pela vida, vestidos com a alma luminosa e iluminada deste azul... sentiríamos necessidade de progredir no amor, cada vez mais, no sentido de subjugar em nós mesmos o egoísmo, de tornar-nos macrocósmicos; sentiríamos necessidade de desenvolver dedicação e sentir-nos-íamos felizes em poder permanecer nessa idéia por meio do fato de a Piedade Divina vir ao nosso encontro. O quanto seríamos agraciados com a Piedade Divina ao percorrermos o mundo... !”

As flores intensamente azuladas lembram o manto sagrado ou a veste luminosa da Terra, a cor do céu. O azul celeste tem sido necessariamente associado ao espírito do homem, à idéia de elevação, de leveza, de ar e de esferas pouco acessíveis. É a cor da morada celeste, das habitações dos deuses, é a intensa tonalidade que recobre o Olimpo, é o véu e o manto da divindade.

O azul é o símbolo da sabedoria divina ! É no abismo do azul celeste que reside todo o Espírito e toda a Verdade. E se algo literalmente nos une é o azul, pois respiramos todos o mesmo ar. O azul expressa o fluido universal e um aspecto da sabedoria do Espírito Santo.

O maravilhoso azul do manto que recobre a Nossa Senhora e o sobre o qual deita-se o Menino Jesus, na obra do itaunense Hely Militão, Santana e o Menino Jesus na Praça da Matriz, é plenamente capaz de refletir a chama azulada do Sagrado Coração de Maria ! Por outro lado, nesta pintura genial, a expressão do rosto da Santa Mãe convida-nos a refletir sobre algo tão misterioso quanto profundo: Maria, mãe de Jesus, passou pelo abismo da morte junto com o seu Filho, em completo silêncio e entrega. Num hino litúrgico, logo na manhã da Paixão, teria dito Maria: “Devo acompanhar-Te ou esperar-Te ? Dize-me uma palavra, ó Verbo,... Não passes em silêncio !” O silêncio do Verbo é da maior significação, pois representa concordar em não saber e nem querer mais nada, é transpor o intransponível, é dizer que o impossível é possível, é instruir todos os homens sobre o não-instruível, é ser toda a humanidade sofredora, porém recoberta pelo manto azulado da Redenção... é o silêncio que se torna Verbo... talvez seja este o som inaudível do azul. E podemos dizer com toda a propriedade estética e científica que as flores são pequenas trombetas angelicais, que entoam cânticos que ressoam no diapasão da alma.

A essência floral da Chicória, Chicorium, tem sido empregada desde 1930 para ajudar aquelas pessoas possessivas e egoístas, que procuram a atenção constante e se sentem magoadas facilmente, que não apreciam estar sós e choram com facilidade; possuem ainda forte carência afetiva e sufocam os outros ao invés de amarem; cobram retorno de carinho e interferem nos que lhes são mais próximos; gostam de manter seus entes queridos sempre nas proximidades, ao próprio alcance, para assim melhor controlá-los e corrigi-los, principalmente no que se refere aos sentimentos. Podem elas sufocar seus amados, sejam eles filhos, marido, esposa, namorados, amigos, etc, através de um excessivo controle, tirando-lhes a liberdade individual, impedindo seu pleno desabrochar.

Curiosamente, a Chicória enlaça com suas poderosas folhas os pequenos brotos florais latentes, envolvendo-os num abraço quase fatal, querendo-os só para si, impedindo também deste modo o estupendo florescer da chama azul de suas pétalas ! E quanto mais faz isto, mais amarga se torna literalmente a planta... e também tais pessoas !

A essência floral da Chicória nos conecta com os aspectos cósmicos do Amor Universal, em sua confrontação arquetípica com o Amor Humano. Ela é um dos instrumentos de reafinação da musicalidade que ecoamos por aí, pois ajuda-nos a intensificar a chama azul de nosso coração, através do abrandamento da possessividade em nossos relacionamentos afetivos, no despertar do conceito divino de maternidade e no aprendizado do amor altruísta, incondicional, impessoal e universal.

Sair por aí vivenciando plenamente a lição da Chicória eqüivale a “vestir” a camisa azul da Terra ou o manto sagrado de Nossa Senhora Aparecida, a mãe querida de todos os brasileiros.

Breno Marques da Silva



6 - Desalento, o Desconforto e o Desespero
7 - Incerteza ou Indecisão

Artigos

As páginas da Magnífica® não enviam executáveis, anexos ou downloads.

E-MAIL - sbayub@gmail.com

Estilo Net - Direitos Reservados