1- Medo

2 - Preocupação excessiva com o bem-estar dos outros
3 - Falta de interesse pelas circunstâncias
4 -Supersensibilidade a influência e Opiniões

5 - Solidão

FLORAIS DE MINAS

O LOUCO DO TARÔ E A ESSÊNCIA FLORAL ROSMARINUS
Ednamara Batista Vasconcelos e Marques



O arcano zero - o Louco - é que, no tarô liga os dois mundos, o mundo contemporâneo onde desempenhamos nossas funções cotidianas e o mundo imanifesto, o da imaginação. Ele move fora do espaço e do tempo, então, ele é incondicional.

Num âmbito mais humano, é a inocência do Louco - expressa nas cartas que o representa nos diversos baralhos - que o protege. Com a personalidade Rosmarinus o caso não é diferente, tão ligada às realidades inconcebíveis para o homem contemporâneo, Rosmarinus tem uma inacreditável capacidade de regeneração/cicatrização, de perdoar, de estar inocente e de esquecer o passado, mesmo que este tenha sido sombrio. Definitivamente sua conexão não é com o passado e é pouca com o presente. Sua libido está direcionada para os ideais futuristas, utópicos para nossa concepção atual. Colaborando com este pensamento temos o uso fitoterápico de Rosmarinus officinalis como inigualável cicatrizante e também poderoso rejuvenescente. Ora, se analisarmos através da explicativa “Lei da Analogia”, não há o que se estranhar. A ação é no físico semelhante, porém mais densa, à do plano mais abstrato. Muitas vezes é possível estabelecer relação entre o uso fitoterápico de uma planta e sua aplicação como essência floral, então, se esta panacéia - como essência floral - é indicada para aquela personalidade que não tem memória, não se liga com aos registros do passado, está explicado o seu poder de cicatrizar/rejuvenescer. Só se cicatriza/rejuvenesce aquilo ou aquele que não se volta para o passado. Digno de nota é o fato de em um baralho suíço o Louco ser representado como o “puer aeternus”, moço de vigor imortal com vários séculos de idade.

Ponto de interessante estudo é o aspecto fluídico inerente tanto nos atributos do Louco, quanto na descrição da essência floral Rosmarinus e no arquétipo do aquariano com o seu regente Urano e suas inovações. Na carta o simbolismo da roupa colorida do Louco quer nos expressar o mesmo que o excesso do elemento hidrogênio confere a Rosmarinus officinalis e ao mesmo fator que no zodíaco faz com que aquarius seja o mais altruísta dos signos.

O Louco do tarô usa uma pena no barrete enfatizando ainda mais a sua ligação com o espírito celeste, seu estado aéreo. O hidrogênio, elemento abundante em Rosmarinus officinalis é o responsável por seu poder fitoterápico que permite ao sangue correr com mais fluidez nas artérias, que tonifica e estimula a mente esquecida e que dá a característica lunática/aérea à personalidade Rosmarinus. É sabido que quando o hidrogênio se liga quimicamente à matéria mais densa ele a ergue para uma forma mais leve, mais transparente e flutuante, ele revela uma propriedade característica de ascendência.

O Louco incorpora o despojar e a inocência pueril. Para as crianças não há discórdias rígidas e fundamentadas, por outro lado Rosmarinus é a personalidade que não guarda mágoas, não sustenta as seqüelas. Incorporar o Louco numa situação de conflito pode trazer resultados de desarmamento. Não encontrando resistência, o antagonismo fica com a cara no chão e perde as forças que sustentam sua fúria.

Tanto no Louco quanto na essência floral Rosmarinus, a fertilidade é realçada. O Louco tem sido tradicionalmente ligado ao falo, seja no sentido da devassidão seja no da fertilidade. Também é conhecida a cantiga popular que relaciona o alecrim (nome popular de Rosmarinus officinalis) com a fertilidade: “Alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado”. A antiqüidade clássica já o reputava como fertilizante. Em pesquisa que desenvolvo no consultório é comprovada a necessidade do uso da essência Rosmarinus em muitas mulheres que apresentam dificuldade de engravidar. Geralmente elas trazem indicações em seu comportamento das características da personalidade de tal floral, demonstrando a falta de memória, a dificuldade de recordar fatos de sua infância, a falta de raízes. Ora, o que não tem raiz demonstra a falta de vida, de encarnação. Como pode aquele que não está perpétuo, perpetuar a sua espécie gerando um filho? Só se tornando vivo e ativo para a realidade atual! Este é um dos principais atributos que Rosmarinus nos confere: vida, idéias frescas, mente oxigenada e dinâmica.

Nota da autora:
Para melhor compreensão do artigo entenda-se a relação fitoterápica quando se lê Rosmarinus officinalis e a relação de essência floral quando se lê apenas Rosmarinus.

(enquanto ouvia a Nona Sinfonia de Beethoven)



6 - Desalento, o Desconforto e o Desespero
7 - Incerteza ou Indecisão

Artigos

As páginas da Magnífica® não enviam executáveis, anexos ou downloads.

E-MAIL - sbayub@gmail.com

Estilo Net - Direitos Reservados